Demitir funcionários

Imagem: Filme Up in the Air / Amor sem escalas

Por mais que eu me prepare, dar a um funcionário a notícia de que ele está sendo desligado da empresa é sempre muito difícil e desgastante; mas esta é uma das atribuições de um gerente de pessoas, que às vezes tem que decidir e efetuar, ele mesmo, pelo desligamento e em outras situações apenas executar as decisões tomadas em níveis superiores.

Nas últimas duas semanas, foram duas demissões. Apesar da pessoa jurídica não ter emoção, quem está conversando em uma sala são duas pessoas físicas, de carne, osso e sentimentos. Tão complicado (psicologicamente) quanto dar a notícia é seguir todo o procedimento burocrático, com várias instruções que precisam ser transmitidas ao, agora, ex-funcionário e vários formulários a serem preenchidos e assinados pelo ex-funcionário e pelo gerente.

Os funcionários envolvidos mantiveram postura adulta e profissional durante nossas conversas; não esperava que “entendessem” a situação e os motivos das demissões, mas ambos aceitaram e internalizaram a notícia desagradável, contendo suas emoções.

São conversas com momentos de vazio e silêncio, necessários para que cada um possa ajustar seu nível de stress e conduzir a reunião até seu desfecho formal.

Como pessoa física e como representante de uma pessoa jurídica – a empresa para a qual trabalho – desejo a ambos muita sorte.

29 de dezembro de 2015

Anúncios

Meu processo de criação

Recebí a solicitação para criar uma apresentação para o Vice-Presidente da América Latina da minha área, expondo de forma executiva algumas iniciativas nas quais estamos trabalhando. Até a apresentação estar pronta, eu seguí um processo criativo que é, mais-ou-menos, um padrão para mim e que eu gostaria de lhes mostrar.

Nesta primeira folha estão as anotações que rabisquei enquanto me faziam a solicitação. O pedido foi para apresentarmos 3 iniciativas, de forma executiva e em inglês; eu decidí, por conta própria, incluir outra página com iniciativas adicionais que também considero importantes.

Depois de refletir um pouco sobre o pedido e o que queríamos mostrar para o Vice-Presidente, fiz o rascunho de um storyboard. Eu imaginei inicialmente 4 páginas de apresentação (com a página adicional que decidí incluir) .

E, finalmente, após a apresentação estar pensada e planejada (e até apresentada mentalmente para o VP) sentei ao computador para montá-la no powerpoint. Observem que a estrutura foi mantida do storyboard para o powerpoint; enquanto escrevia no computador eu não achei necessário incluir a primeira caixinha da Initiative #2 do storyboard e moví a outra caixinha para uma página separada. As 4 páginais iniciais viraram 6 mais a capa.

Quando investimos tempo para pensar e organizar o trabalho, antes de efetivamente começar a executá-lo, o ganho de produtividade é enorme e o trabalho final tem muito mais qualidade.

18 de dezembro de 2015

6 hábitos que estão acabando com sua habilidade de criar

Passei por um post no medium.com, escrito por Zak Slayback, que achei simplesmente fantástico pois trata de um assunto que eu já me questionei em várias ocasiões. O título do artigo é sugestivo “6 hábitos que estão acabando com sua habilidade de criar” e esses hábitos são:

  1. Ficar lendo artigos sobre produtividade ao invés de produzir.
  2. Ficar lendo artigos sobre criatividade ao invés de criar.
  3. Ficar lendo artigos sobre enviar (produtos) ao invés de enviar.
  4. Ficar lendo artigos sobre fundar (uma empresa) ao invés de fundar.
  5. Ficar lendo artigos sobre truques para crescer um negócio ao invés de cuidar do seu negócio.
  6. Ficar lendo artigos sobre aprender com falhas ao invés de aprender com as falhas.

E a mensagem final é dura:

Saia e produza alguma coisa. Você nunca vai chegar a lugar algum se passar os dias lendo artigos no Medium.

https://static.medium.com/embed.js6 Habits Obliterating Your Ability to Create

10 de dezembro de 2015

11 afirmações dos bem-sucedidos


O site inc.com publicou um interessante artigo de Jeff Haden listando e explicando as 11 afirmações que as pessoas bem-sucedidas repetem todos os dias. Eu acredito muito no poder das frases afirmativas, usando-as principalmente em momentos de mudança e/ou insegurança profissional e pessoal (deveria usar todos os dias, eu sei…). Uma referência neste assunto foi a americana Susan Jeffers, autora de livros como “Feel the Fear and Do It Anyway” e “Why Affirmations are so powerful!”, este disponível gratuitamente em seu site.
As afirmações listadas pela inc.com são:

  1. Eu não posso fazer tudo hoje, mas eu posso dar um pequeno passo.
  2. Eu vou fazer o que ninguém mais está disposto a fazer.
  3. Eu vou enfrentar um medo.
  4. Eu vou agradecer alguém que mereça ser reconhecido.
  5. Eu vou ouvir 10 vezes mais do que eu falar.
  6. Eu não vou me importar com que as outras pessoas dizem.
  7. Eu vou responder a pergunta que não foi feita.
  8. Eu ficarei OK com algo menos do que perfeito.
  9. Eu vou tentar fazer melhor.
  10. A única coisa que eu sempre posso fazer é ir além.
  11. Eu vou parar e apreciar minhas conquistas.

Recomendo a leitura do artigo completo na inc.com.